Sábado chuvoso

Sábado chuvoso
Estava até meio frio aquele sábado chuvoso. Minha casa Tava vazia, sem a presença dos filhos e dos netos. É um dia assim que eu estava esperando acontecer pra poder ficar a vontade com minha esposa e podermos fazer nossa sacanagem a vontade, deixar nossas fantasias sexuais fluírem sem qualquer recentimentos. Somos um casal maduro, ambos com 60 anos e nossos desejos sexuais mais intensos afloraram após eu ser acometido de uma doença que me deixou em uma cadeira de rodas e destruiu minha virilidade, meu pênis não conseguia se manter ereto sozinho, só através de manipulação ” punheta ” ou sexo oral praticado por minha esposa. Essa prática com o tempo estava perdendo a graça. Até que um dia durante o sexo oral e pedi que ela continuasse a chupar meu pau mas ficando de quatro na cama. Ela atendeu !!! então enquanto ela chupava nessa posição eu comecei a enfiar o dedo no seu cuzinho nunca antes penetrado por ninguém e comecei a dizer a ela – IMAGINA QUE VOCÊ ESTÁ CHUPANDO MEU PAU E ALGUÉM ESTAR METENDO NO SEU CU ! Ela se assustou com a ideia, mas eu continuei com com o dedo entrando e saindo de seu cu lubrificado com minha saliva. Pude perceber que ela não achou a idéia tão absurda e também gostou da brincadeira quando da próxima vez em que fomos para nossa prática sexual ela já se posicionou de QUATRO, logicamente querendo repetir o ato ! A partir desse momento começou a aflorar mais e mais o desejo dela de ter um pau dentro de seu cu.
Pois em nossos atos de simulação ela parecia que realmente estava dando o cu. Estava com muita vontade, mas nunca tocou no assunto. Comprei um pênis de silicone e vaselina farmacêutica, aí então ela chegava a delirar, que até pedia com muita vontade que eu ejacula se em sua boca. Ela chegava a tremer de tesão ! Voltando ao sábado chuvoso e a casa só pra nos, fomos para a área GOURMET da casa, um local no fundo do quintal com fogão a lenha e churrasqueira. Pensando que poderia ser lá o local da nossa sacanagem, já coloquei no bolso da camisa o tubo de vaselina e o pênis de silicone. Peguei o litro de wisque, gelo e tira gosto, liguei o som. Eu na minha cadeira de rodas e ela num pequeno sofá de dois lugares. Estávamos conversando sobre o cotidiano quando a campainha tocou. Era um amigo antigo da família que trabalhava de pedreiro e veio fazer um orçamento a meu pedido, mas que eu tinha esquecido completamente. Sem ter como me esquivar do compromisso liberei a entrada dele pelo porteiro eletrônico.
Feito o orçamento e já num papo informal com o amigo, convidei para um wisque e ele aceitou prontamente. A garrafa já quase vazia veio minha esposa com o tira gosto. Ela colocou os petiscos sobre a mesinha e ficou em pé observando nossa conversa, então como não tinha outro lugar eu pedi que minha senhora sentasse no pequeno sofá que estava nosso amigo, todo mundo acomodado e o litro de wisque no fim e já com várias latas de cerveja vazias, o papo ficou bem descontraído. Já estávamos bem alegres com tanta bebida, então falei para o amigo, – mostra pra gente o tamanho da sua pica ? Ele se assustou com meu pedido, parou, pensou e meteu a mão dentro do calção e arrancou uma enorme PICA PRETA E CABEÇUDA e ainda deu uma chacoalhada naquele monte de nervos. Minha esposa arregalou os olhos, deu uma afastada no corpo e ficou olhando olhando aquele negocio preto e enorme. Após a apresentação daquele tarugo eu disse para minha esposa – dá uma segurada pra você sentir ? Então sem cerimônias meu amigo pegou na mão esquerda da minha mulher e levou até sua pica. Ela segurou e instintivamente começou com um movimento de punheta, bem devagar. Ficou ali sentada ao lado do amigo segurando e acariciando seu pau por uns três minutos. Eu na ninha cadeira sentado na frente dos dois, então chamei minha esposa para perro de mim, ela se levantou e colocou se a minha frente. Eu a abracei bem apertado, levantei sua blusa e dei um beijo em sua barriga, senti ela estremecer de tesão, com meu braço direito em suas costas fui descendo a mão por dentro de seu short largo e já o abaixando deixando sua bunda a mostra. Baixei seu shorts até na altura da coxa, com a mão em sua bunda dei lhe outro Beijo na barriga, à segurei pela cintura e a virei de frente para meu amigo e a puxando pra baixo lhe pedi que ajoelha se entre as pernas dele, ela ajoelhada entre suas pernas e ele recostado no sofa, então pedi pra ela chupar o pau dele. Ela começou a chupar e gemer bem baixinho com muito tesão. De joelhos no chao, chupando aquele pau preto enorme, posicionei minha cadeira ao lado de seu corpo, peguei a vaselina que estava no meu bolso, peguei uma boa quantidade e passei em seu cu e comecei a enfiar o dedo e dizer a ela o que eu sempre dizia – pra ela imaginar que também tinha um pênis fuder do seu cu. Ela rebolava no meu dedo pedindo mais e mamava ferozmente aquela pica preta e enorme. Seu cu lambuzado de vaselina já bem aberto por meus dedos e completamente receptivo, então perguntei pra minha esposa – você não quer experimentar uma pica de verdade no seu cu ? Ela nem respondeu !!! Então sai da cadeira de rodas e me ajeitei no sofa, meu amigo a segurou por trás e a colocou para chupar meu Pinto e bem devagar foi enfiando aquele feixe de musculos no cu da minha amada. Cada estocada proferida contra aquele cu era um gemido de tesão que saia da sua boca sugando meu pau. Foi uns dez minutos de entra e sai daquela cobra nu CU da minha mulher. Então nosso amigo acelerou o ritmo e eu percebi que ele ia gozar. Então puxei minha esposa para um abraço apertado sobre meu peito fazendo com que ela permanece se de quatro para meu amigo gozar o mais fundo possível dentro dela. Seu corpo era empurrado compra o meu tamanha a virilidade que era oissuida. Na hora do gozo minha boca estava num Beijo frenético na boca da minha esposa que só soltava grunhidos de dor, satisfação e de loucuras nunca antes ouvidas por mim !!!

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir