PAGANDO O UBER COM MOEDAS

PAGANDO O UBER COM MOEDAS
PAGANDO O UBER COM MOEDAS

Essa estória aconteceu mesmo, do jeitinho que vou contar. Já tem quase 1 ano e foi assim…
Eu e meu namorado tínhamos acabado de sair de uma boate de swuing e fomos matar a noite num motel barato. Estávamos loucos de tesão e queríamos mais uma pessoa conosco. Já eram quase quatro da matina.
Já tinha um tempo que ele conversava com uma amiga pelo Whatsapp… Ela estava online!
Perguntamos o que estava fazendo e se queria se juntar a nós… Ela topou sem delongas, sem frescura aceitou de cara. Liguei pra ela… disse pra por uma roupa bem provocativa e uma lingerie bem sexy, que chamasse um Uber e que eu pagaria a corrida.
Retoquei a maquiagem e me perfumei. O interfone tocou avisando da chegada do carro. Eu já estava esperando na garagem. Nua! Ele parou o carro do lado de fora, o motor ligado. Abri a porta da frente, do lado do passageiro, me sentei no banco e tirei uma bolsinha com moedas de cinquenta centavos. R$ 26,00 era o valor da corrida, começamos a contar. Eu pedi pra minha amiga me mostrar a parte de cima da lingerie que estava usando. Ela abriu os primeiros botões da blusa e, sem pestanejar, mostrou um belo sutiã amarelo, rendado e decotado. O homem estava gélido e pálido, tremia. Passei a mão sobre sua perna, deslizei, de leve, sobre seu pau. Duro! Ele estava assustado e antes mesmo de completar os R$ 10,00 da viagem disse querer ir embora por ser tímido demais. Sorri e me levantei, abri a porta de traz, me sentei no banco, ao lado da minha cumplice e dei-lhe um beijo no rosto. Acabei de tirar sua blusa, a peguei pelas mãos e a tirei do carro.
Fui com minha, mais recente, amiga pro quarto. Cabelos loiros e curtos, olhos grandes e vibrantes, lábios grossos, branquinha, tatuagem colorida nos ombros, baixinha, corpo de mulher com curvas, peitos grandes, quadris largos, coxas lindas.
Rimos da situação e depois fomos nos apresentar. Era sua primeira vez com uma mulher, ela estava ansiosa. Por dentro, sem deixar transparecer, fui ao delírio. Fiquei com mais vontade dela.
Deixei que meu namorado conduzisse o cenário do que iria acontecer naquele quarto de motel barato. Mas o contexto, quem conduziria… Seria eu!
Ele se sentou entre nós duas, e durante alguns minutos, passou as mãos em nossas pernas, enquanto falava coisas sem graça. Típico de homem! Revezava-se beijando nossos pescoços, sempre começava por ela. Se virou á sua frente e foi tirando sua saia, bem devagarinho, e depois os imponderados saltos altos. Me pegou pelas mãos e nos posicionou uma em frente a outra. Eu a deitei na cama e me sentei sobre suas coxas branquinhas e grossas. Comecei tocando e beijando seu corpo bem devagar e delicadamente. Descia a língua por ela toda: primeiro os ombros, os braços, as mãos, os seios, as costelas e a barriga.
Senti que ela estava mais relaxada. Peguei-a pelos cabelos e dei-lhe um demorado beijo na boca, enquanto tirava seu lindo sutiã amarelo. Beijava os seios, bem de levinho, mordiscava e acariciava. Minha mão esquerda segurava seu pescoço, movendo-o para traz, enquanto a direita acariciava sua pepeca, lisinha, por debaixo da calcinha. Ela estava muito molhada, gemia baixinho… sussurrava! Desci a língua, dos peitos á virilha. Tirei sua calcinha, beijando por entre as coxas. Abri suas pernas e comecei a chupá-la. Passava a língua pela vagina melada e subia até seu grelhinho, lambia e sugava. Ficamos assim por alguns momentos, eu chupava cada vez mais forte… meu namorado beijava seus seios…seu corpo começou a tremer, ela gemia alto e gritava pedindo mais… ela estava gozando na minha boca, escorria pra mim. Era meu presente! Eu estava desvairada e ela tão excitada quanto eu. Me deitei por cima dela e fui encostando nossos corpos, pepeca com pepeca e continuamos gozando, as duas juntas.
Me virei e me encostei ao seu lado. Meu namorado aproveitou-se da situação e enquanto ela ainda gozava começou a meter em sua bucetinha melada, primeiro devagar, depois mais forte. A colocou de quatro, eu beijava sua nuca e acariciava as costas. Quando dei por mim, ele já estava comendo seu cuzinho apertadinho. Aquela vadia, cachorra, puta, safada estava dando o rabo facilzinho pro meu namorado. Fiquei com ciúmes, sua expressão era de delírio. Os dois se entregaram, estavam morrendo de tesão. Eles gozaram sincronicamente juntos. Hurraram!
Percebi o quanto as preliminares são importantes para uma boa foda. Nesta ocasião, eu fui “as preliminares”. E adorei!
Depois foi minha vez de sentir todo aquele fervor. Os dois me retribuíram tamanho o prazer que sentiram, e que eu havia proporcionado. Recebi em dobro o orgasmo que tiveram. Nós três gozamos muito naquela mad**gada. Passamos o resto da manhã entrelaçados, cochichando e combinando o próximo encontro. O próximo pagamento do próximo uber.
Perguntei o que ela havia achado de sua primeira experiência com mulher. Ela assim me respondeu:
“- Não poderia ter sido melhor. Foi do jeito certo. Melhor do que como eu imaginei que seria. Amei vocês dois! Mas você, para sempre será especial.”

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir