Casa abandonada capítulo II

Casa abandonada capítulo II
O verão estava a chegar, e tinha ficado em contacto com Fernando e Mário, as vezes me encontrava com eles para beber uma cerveja, no dia 1 de Maio não trabalhava e fui a um café ter com o Fernando e Mário, tínhamos combinado de passar a tarde juntos, assim que chegaram os dois, fomos para a praia passear e conversar, o Fernando tinha-nos falado de um amigo que gostaria de se envolver nas nossas festas, achamos interessante a ideia de mais um fazíamos dois pares assim, claro que ninguém se importava com ter ou não pare, afinal fazíamos o que nos desse na cabeça, hora fodiamos, hora éramos fodidos, mais mais um poderia dar mais picante a coisa, e o Fernando telefonou o seu amigo, marcamos encontro pelas 17h em casa de Fernando.

Chegando a hora marcada fomos todos par o encontro, eu estava curioso por ver a nova pessoa, Fernando já tinha nos dito que se chamava Rui, que tinha 55 anos, mais não disse e ficamos ali curiosos, eu e o Mário, a campainha toca, era Rui que tinha chegado, mal encarei com ele, minhas pernas tremiam, Rui era vizinho de minha tia, era casado e costumava brincar com a filha na altura da escola, cumprimentou-me e fomos para a sala, eu sempre o tinha achado meio afeminado, mas nunca pensei que fosse bissexual, mas prontos as aparências enganam, e a minha preocupação naquele momento era que ele não fosse abrir a boca, o que ali se passava morria ali, fiquei mais tranquilo quando ele me pediu que não fala-se fora dali sobre as aventuras dele, eu claro que lhe disse que não, e que também não cria que falasse de mim, pois também gosto de mulheres e que cabia a mim decidir se falava ou não no exterior da minha bissexualidade.

Fomos os quatro para o WC lavar o rabinho, eu com sorrisos matreiros com Rui, ate que lhe perguntei o que fui, ele respondeu que achava estranho eu estar ali, que o me ver que se recordava das minhas brincadeiras e birisses que fazia quando criança, com uma gargalhada agarrei o caralho dele e disse, que agora era outra história. Acabados de nos lavarmos todos, e já excitados por lavarmos o cu uns aos outros, dirigimo-nos para o quarto, Fernando tinha comprado alguns brinquedos entre tanto, dês da minha primeira vez com eles. Fernando agarrou o Mário e fiquei com Rui, fiquei ali parado pois não estava a espera de ficar com ele, baixou-se e começou a mamar-me o caralho, vi logo que já tinha experiencia, pois mamava de uma maneira muito gostosa, sugava-me os culhoes, apertávamos com os dentes, hum que boa máquina de broche me estava a sair Rui.

Agarrei a cabeça de Rui, e acariciava os cabelos, em quanto ele me chupava o caralho, sentir a língua dele que deslizava em todo o meu caralho, sugava-me a cabecinha toda com muita fome, nunca poderia imaginar que o rui fosse bissexual também, pois aparentemente escondia bem o jogo, perguntei dês de quando ele fazia com homens, que me respondeu que dês da sua pequena idade, logo imaginei que fosse como eu, que ia para casa de um amigo ver revistas e nos masturbávamos, ate que um dia decidimos punhetar uns aos outros, uma vez éramos só dois e experimentamos de tudo, mas prontos lá estava eu a ser mamado por Rui, o que mais me excitava nele, era o facto de ele ter uma idade excitante, tinha muitos pelos no peito brancos, careca e um pouco para o gordinho.

Trocamos de posição e fui eu para o chão chupar o caralho de Rui, ajoelhei-me abri-lhe as pernas e comecei a pompear aquele caralho grosso que mal cabia na minha boca, já todo remelado de baba macio e quentinho, custava-me um pouco enfia-lo todo na boca, pois tratava-se de um belo caralho, ali naquele quarto estavam dois belos caralhos, o do Fernando e do Rui, quando já estava a lhe apanhar o jeito já conseguia meter o caralho todo na boca, sentia a cabeça que tocava no fundo da minha garganta, meio que sufocado mas que me dava um enorme prazer, cada vez que enfiava todo na boca, sentia os pelos que me tocavam no nariz, isso me excitava mais e mamava com mais convicção.

Fui então que me agarrou na básica e começou a forcar mais a entrada, enfiava tudo dentro de mim, eu estava adorar aquele pedaço de carne que me invadia a boca, levantei-me e deitei-me de costas na cama, só a cabeça saia da cama para posicionar bem, e ele enfiou o caralho todo dentro da minha boca, segurando-me na cabeca para eu não mexer, fodeu-me ali a boca como nunca me tinham fodido. Eu as vezes tinha vómitos mas ele não parava, saiam-me lágrimas dos olhos, mas estava a gostar, era um autentico macho que ali estava, retirou o caralho e começou a beijar-me, pediu que lhe fixe-se o mesmo, deitou-se na mesma posição e abriu a boca, agarrei sua cabeça e comecei a foder-lhe a boca toda, confesso que tinha gostado quando ele me fodeu a boca, mas estar ali a foder a boca dele me estava a dar mais prazer, enfiava a piroca toda dentro da boca, ate sentir os culhoes apertados, como tinha um caralho menos grosso que o dele, não lhe custava muito, então eu podia foder sua boca como se de uma coninha se trata-se.

Tirei o caralho da boca dele, e fui para o outro lado da cama, baixei-me e levantei-lhe as pernas e comecei a lamber o cu dele, ele em posição frango aberto e eu de joelhos a lamber aquele cuzinho peludo e gostoso, ele gemia mais quando eu lhe lambia o cu, do que quando eu lhe chupava o caralho, tinha um cu gordinho que me excitava, por estar a lamber e sentir aquelas bochechas gordas e peludas ruçar na minha cara. Após algum tempo a chupar o caralho dele, resolvemos trocar de posição, e fiquei eu em posição frango aberto, para que me lambe-se o cuzinho todo, eu adoro quando me lambem o cu, fico mais sensível quando me tocam na raia ou no cu, o Fernando e o Mário vieram ter comigo e me deram o caralho a mamar, comecei por mamar no caralho do Fernando, aquele caralho preto gostoso que me deixa cheio de baba, depois passei para o Mário, também com um belo caralho mas mais fácil para tudo, para mamar ou mesmo para foder, tinha um caralho de tamanho médio e com uma bela cabecinha, parecia o meu caralho só que me dava a impressão de ser um pouco maior, então veio o Rui me dar o caralho a mamar, e já estava o Fernando a me lamber o cu, em quanto isso já estavam a perguntar quem dos três me ia foder primeiro, eu disse que também queria foder, fui lá que o Rui teve a ideia de me foderem os três, e depois eu iria foder os três, fiquei excitado com a ideia, então deixei eles decidirem quem me faria primeiro, fui quando decidirem começar pelo caralho mais pequeno, encostarão os caralhos uns aos outros e decidiram que o Mário tinha o caralho mais pequeno, de seguida o Rui e por fim Fernando, eu acho que a diferença entro o Rui e o Fernando era muito pequena, mas prontos.

O Fernando fui buscar o cadeirão, ou sofá de um lugar, como queiram chamar, ajoelhei-me nele apoiado o encosto, e o Mário veio me meter vaselina no cu, em quanto isso segurei no caralho do Rui, acariciava-lo para depois o mamar, decidi que iria chupar o caralho do próximo candidato, Mário encosta a cabecinha e começa a forcar um pouco, tinha o caralho completamente lubrificado com vaselina, pouca forca fez para que a cabecinha entra-se, logo cento todo o resto entrar ate os culhoes, ficou parado um pouco com o caralho todo dentro do meu cu, o tempo suficiente para eu pegar no caralho do Rui e meter na boca, Rui teve que se meter em cima de uma caixa para puderchegar a minha boca com o caralho, e cinto que Mário começa a retirar devagar o caralho ate a cabeça, volta a enfiar, e começou ali os movimentos de vai e vem, é muito excitante sentir um caralho na boca, em quanto ta outro caralho a foder-me o cu, Fernando começou a por um óleo no meu corpo, o que estava a excitar eles os três, eu estava ali a me sentir uma verdadeira putinha.

Que bom que estava a ser, um caralho no cu, outro na boca, e uma massagem nas costas e barriga, comecei a sentir as mãos de Fernando nos meus ombros, era muito bom a massagem, uma verdadeira obra de prazer, sentir aquele caralho que me massajava a próstata, Fernando que me massajava o corpo, e o caralho do Rui que me enchia a boca toda, era muito prazer de uma vez só, Mário começa a dar tocadas com muita mais forca, um autentico a****l com cio, o que me dava um enorme prazer, e Rui que me agarrava pelos cabelos, para me enfiar o caralho te os culhoes, Fernando com aquelas mãos magicas, que me dava uma descontracção total, ate que Mário retira o caralho e diz o Rui que se ia vir na minha boca, que eu adorava isso. Comecei a chupar o caralhodele com gosto o meu cu, ele veio-se logo na minha boca, enfiando o caralho todo ate os culhoes, para eu não perder uma gota só, engoli todo aquele esperma ate a última gota, deu uma ultima mamada no caralho dele, ate que ficou bem limpinho e o Fernando veio me dar o caralho a mamar, Mário continuou a massajar-me o corpo, e o Rui fui me foder o cu.

Rui era o menos meio dos três a foder, pois era um autentico a****l a foder, agarrou-me pelas ancas, encostou o caralho dele no meu cu, mal a cabeça da piroca estava posicionada no meu cu, enfiou logo com toda a forca que teve, senti uma dor que me subia pela espinha acima, logo senti os culhoes dele que me invadiam, as nádegas, não fui nada meigo, nem começou os ditos vai e vem, foi logo para a foda seria, a foder o meu cu com tanta forca, que logo a dor já tinha passado e só sentia os culhoes dele baterem no meu cu, como se de dois sinos se trata-se, Fernando estava com o caralho mole, o que me deu um enorme prazer, pois adoro chupar um caralho quando esta mole, gosto de sentir o caralho crescer na boca, fui logo para garganta funda, em quanto o caralho me permitia uma total penetração, mas também logo ficou teso e grande, mas muito gostoso o caralhodele, de todos os três Fernando tinha o caralho que mais gozo me da chupar, Rui continuava a explorar o meu cu com o caralhoo dele, cada tocada que me dava, sentia que me ia mijar todo, e como me fodia com muita forca, era como se teve-se sempre com vontade de mijar, ate que começou abrandar o movimento, ate que eu já dava gemidos de prazer, ali sim tinha encontrado o movimento certo, para me dar prazer como devia de ser.

Fernando acariciava-me a cabeça em quanto eu lhe chupava o caralho, eu já não estava a sentir mais o meu cu, só sentia o caralho que me ruçava na próstata. Rui retirou o caralho do meu cu, vi logo que já se estava na hora de mais leitinho, Fernando fui logo meter o caralho dele, em quanto eu tinha o cu aberto, antes que Rui me desse o caralho a mamar, já estava eu a sentir o caralho do Fernando, deslizar pelo meu cu dentro, agarrei o caralho do Rui e mamei ate ele me dar todo o seu esperma. Fernando senta-me no cadeirão, pega-me pelas pernas, fiquei ali com o cu arrebitado para ele, enfia-me o caralho pelo cu dentro, eu gemia de prazer, para abafar os gemidos ele começou a beijar-me, fodendo-me com muita intensidade, eu estava nas minhas nuvens, em quanto era fodido por ele, ele enterrava o caralho todo dentro do meu cu, mas era com tanto amor que o fazia, que me aumentava o prazer. Então decidiu me levantar, sentou-se no cadeirão e sentou-me no caralho dele, fiquei ali agarrado a ele a cavalgar no caralho, eu que estava mestre da situação, então cavalgava e aumentava de velocidade, conforme ele gemia eu aumentava ou diminuía as tocadas, agarradinho a ele beijava-lhe com tanto amor, que parecia-mos dois apaixonados. Conforme o beijava e cavalgava no caralho dele, Fernando apertava-me as nádegas com forca, isso me excitava e aumentava a vontade de cavalgar mais no caralho dele, sussurrava-me no ouvido que era bom a foder-lhe mas quando me fodia, me tornava uma autêntica putinha. então mandou-me sair para se espurrar, ajoelhei-me no chão, abocanhei o caralho todo dele, muito bom mamar um caralho com gostinho de cu, fui então que Fernando deu um gemido, esticou as pernas e senti um jacto entrar na minha boca, de seguida outro jacto, era uma autentica maquina de esperma, só ele tinha tanto esperma quanto os outros dois me deram, engoli tudo, aproveitei ate a ultima gota, depois chupei o caralho dele ate ficar bem lavadinho, de todos os caralhos o do Fernando era o que mais me fascinava.

Depois ajoelharam-se os três de quatro na cama, ficaram ali prontinhos para mim, comecei por dar umas lambidas em cada cu, espalhei vaselina no cu de todos e comecei a enfiar um dedo depois outro, como combinado iria foder os três, comecei a foder o Mário, agarrei aquele cu bem maduro e bem mais gordinho que o meu, encostei a cabecinha e forcei a entrada, senti a cabeça que entrou na gruta do Mário, enfiei um pouco mais e parei mais um pouco, ate que senti os culhões empancar, comecei o movimento de vai e vem, e aproveitava para acariciar o cu de Rui, enfiando-lhe os dedos para ter o caminho adiantado, comecei a dar tocadas mais fortes, Mário gemia como uma putinha com cio, mas quem mais estava com cio era eu, que estava ali a foderaqueles três machos, Fernando não se pode conter e pôs-se a chupar o caralho de Rui, eu ali fodendo Mário com o meu caralho todo dentro, sentir deslizar o cu dele no meu caralho, troquei de homem e fui foder o Rui, que estava já com o cu aberto, agarrei-lo pelas nádegas, encostei o caralho, não custou nada entrou com uma facilidade, que bem vi que rui levava muito no cu, porque alem de ter entrado com muita facilidade, ele empinava bem o cu, procurava o caralhocom o cu, como se eu não teve-se a foder bem, e que ele vira-se o cu indicando o caminho, o que eu sei é que me estava a excitar mais, o facto que ele empinava mais o cu, e que parecia que dançava, eu não sentia aquele apertozinho na piroca, que normalmente sentia, mas estava a ter um prazer enorme, comecei a foder-lhe com muita forca, perguntando se gostava, ele respondendo que cria mais, fodi-lhe como um a****l, volteio em posição de franco aberto, e estava o Mário com o Fernando a fazerem um 69, isto é que estava a ser bom, foder o rui naquela posição, ver-lhe olhos nos olhos, e se olha-se para o lado via aqueles belos homens maduros, a se mamarem um ao outro, e o que mais gosto no broche e mesmo o 69, foder e ser fodido, era o que fazia-mos os três, agora somos quatro e espero que continue assim, agarrei o Rui pelas pernas empinei-o mais para cima, e voltei a foder-lhe como um a****l, tive ali 2 minutos mais o menos, e fui então foder por fim o Fernando, o que mais me excitava era o facto de ele ser negro, e termos o mesmo nome.

Chamei o Fernando e sentei-me no cadeirão, primeiro quis que ele se senta-se mo meu colo, e ficamos ali os beijos, pois eu queria descansar o caralho um pouco, senão iria me esporrar todo mal começa-se a foder Fernando, os outros ciumentos também me queriam beijar, então ficamos ali os quatro os beijos, mas Fernando não me largava, eu não ia fugir claro, Mário ajoelhou-se para me mamar o caralho, mas disse-lhe que não o fixe-se, que estava a fazer uma pausa para aguentar mais um pouco sem me espurrar, então já que estava de joelhos, começou a chupar o caralho de Fernando, eu continuei a beijar o Rui. Senti que já tinha o caralho todo mole, para não interromper o broche do Mário, puxei o Rui para o lado e comecei-lhe um broche, ele estava com o caralho todo mole, pequenino que coube todo na boca, mas também logo que o enfiei na boca, começou a ficar duro, engolia o mais que podia mas sem forcar a entrada, punhetava o mesmo tempo, depois já era ele que se punhetava e eu chupava só a cabecinha, ate que ele disse que se ia vir, tirou a mão, e continuei o broche ansioso por leitinho, senti um jacto quente, apertei os lábios e continuei com a língua, para não perder leite nenhum, quando senti que já não saia mais esperma, retirei a boca e puxei-o para me beijar, quando nos beijamos com o esperma na boca, o linguado que trocava o esperma entre mim e ele, era muito bom fazer isso, ia o tinha feito antes, e sempre que tenho oportunidade faço, pois é maravilhoso.

Chamei o Fernando e comecei os beijos com ele, fui metendo o dedo no cu dele, depois outro, ate que ele se levantou, fechou-me as pernas, começou a chupar-me o caralho para endurecer, e sentou-se no meu caralho, senti o caralho a entrar com alguma dificuldade, mas a fome dele era tanta, que enfiou o cu de uma vez só, senti uma ligeira dor no caralho, a pele que esgaçou, o cunão tava bel lubrificado, aquela dor parecia que não passava, o mesmo tempo me estava a saber bem, ele começou a cavalgar em mim, com as mãos apoiadas no meu pescoço, e cavalgava cada vez mais rápido, eu agarrei-lhe pelas nádegas e apertei com forca, ele puxou-me a cabeca e beijamo-nos, ele tava que nem uma putinha, depois saiu trocou comigo, ajoelhou-se no cadeirão, empinou o cu e disse que o fode-se sem medo, que não teve-se medo de foder muito, que queria que eu lhe abrisse o cu todo, que queria ser bem fodido, agarro-lhe pela cintura, enfio o caralho, e começo a foder com tanta rapidez, que ele cada tocada que eu dava, gemia que decerto que quem passa-se pela rua ouvia, eu parecia um coelho, com tanta rapidez que o fodia, só ouvia ai, ai, ai, ai, ai, mais, mais, mais, não pares, não pares, não pares, retirei o caralho e dei-lhe a mamar, disse que me ia vir, ele pediu que eu me vie-se no cu dele, então voltei a foder-lhe o cu, em menos de um minuto já estava a me vir todo no cu dele, não sei se fui da excitação, se fui de ter levado no cu deles todos, só sei que me esporrei tanto, que nunca tive tanto leite para dar, ajoelhei-me e comecei a lamber o cu dele, pois já que tinha bebido o leite deles todos, também queria aproveitar o meu esperma, fiquei ali por uns 5 minutos a lamber-lhe o cu, porque queria esperma, e também porque ele tinha prazer quando lhe lambem o cu.

Fomos todos tomar um banho, durante o banho ainda rolou algumas coisas, e fomos para o salão, mais tarde fizemos umas grilhadas no jardim, fomos para dentro, o Rui fui para casa e eu fiquei lá, depois fui o Mário uma hora depois que se despediu de nos, Fernando convidou-me para passar a noite com ele, telefonei para casa avisar que não dormia lá. Passamos uma noite muito agradável, claro que ouve fodas, no outro dia ele fui-me levar o trabalho, deixou-me a 10 minutos a pé, onde lhe pedi que me deixa-se, para não levantar suspeitas, e fui trabalhar a pensar no dia anterior, e ainda a sentir o coração palpitar no cu. Três semanas depois voltamos a nos encontrar, e tudo se repetiu outra vez.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir