Boquete da Morena puta no Centro de Santos

Boquete da Morena puta no Centro de Santos

“Ela me empurrou na parede, olhou pra mim e colocou a mão por dentro da minha bermuda:
– Era esse beijo que vc queria, não era?
– Claro!
Ela começou a alisar meu pau. Experientemente, devagar, até ele ficar no ponto. Ajoelhou, respirou fundo e engoliu meu pau! Colocou tudo na boca de uma vez.”

– Glup!!
Eu fui no céu. Não acreditei, meu pau já tava latejando. Até aquele momento eu não sabia que meu pau poderia ficar mais duro”

Era uma sexta feira, eu tinha voltado do trabalho, um pouco cansado e estava sozinho em casa no Guarujá, fazendo nada, então eu pensei:
– Vou dar uma volta.
Mas no Guarujá não tem tanta coisa pra fazer, então resolvi ir pra Santos, cidade vizinha. Tomei banho, me arrumei e saí. Passei no mercado e comprei um engradado pequeno da cerveja q eu gosto: Budweiser.
Não imaginava oque essa Bud iria me proporcionar.
Peguei a barca pra travessia Santos-Guarujá e em poucos minutos cheguei no Centro de Santos. Muita gente na Praça do Centro, mas eu não tava muito afim de ficar com muita gente, então continuei andando pra rua Senador Feijó (Rua das Primas).
Adentrando a rua, logo me deparo com uma puta e suas amigas cheia de graça, falando alto, fazendo graça com quem passava:
– “Psiu”
Então eu olhei.
– “É vc mesmo negão, vem aqui!”
Então eu fui de encontro a ela.

Em uma fração de momento que eu parei pra reparar nela, ela era uma puta bem da gostosa.
Morena, olhos grandes, negros e penetrantes. Bem bonita, cabelos pretos brilhantes e longos, que batiam na bunda. Labios carnudos com um batom vermelho. Tinha uma tatuagem no ombro, não consegui identificar oque era naquele momento por causa do vestido. Estava com um belo de um decote, bem pra chamar a atenção dos homens, e conseguia! Sentia que se ela respirasse mais fundo, aqueles peitões sairiam voando do vestido. Todos olhavam. Desci os olhos pro lugar aonde mais ela chamava atenção, uma cinturinha fina, que modelava aquele vestido bem curto e aquela bunda. Era uma bunda bem trabalhada. Grande, na proporção certa, eu quase que podia ver por entre o vestido, durinha e empinadinha. E ela ainda tinha aquele par de coxas, e que coxas grossas, que combinava perfeitamente com o conjunto. E estava de salto alto só pra complementar, alongar ainda mais aquelas pernas torneadas.
Me aproximei e perguntei:
– Fala morena, Posso te ajudar em alguma coisa?
– Claro que pode, um negro como você pode me ajudar em muita coisa, hein! – E eu pensando comigo que esse papinho pra levar meu dinheiro n ia colar.
Daí ela finalmente falou oque queria.
– Me arruma dessas cervejas aí? Adoro Bud!
Ela se balançava de um lado pro outro. Aqueles cabelos longos, aquele vestidinho curto aparecendo a poupa da bunda.
– Vc quer a cerveja assim? Sem me fazer nenhum agrado? Sem esforço? Pode esquecer!
Não tá fácil pra ninguém, e eu já tava pensando q eu poderia ter um lucro nessa história!
– Então oque você quer? Ela perguntou.
– Oque vc me oferece?
Ela pensou por um instante.
– Posso te dar um beijo?
– Aonde?
– Na boca uai!
Eu considerei o beijo… Mas não na boca.
– Eu acho que vc pode fazer melhor que isso. Essa cerveja n foi tão barata pra eu te dar de mão beijada.
Ela já tinha entendido a minha maldade.
Então ela falou pras amigas que estavam conversando na escada do puteiro:
– Eu vou ganhar essa cerveja e já volto. Negão marrento, vem comigo!.
“Ganhei a noite”
Fomos andando pela rua Amador Bueno, atravessamos uma Praça até a Bras Cubas. Paramos na frente do Coliseu.
Ali normalmente é movimentado, mas a noite é um deserto. Ela me empurrou na parede, olhou pra mim e colocou a mão por dentro da minha bermuda:
– Era esse beijo que vc queria, não era?
– Sim!
Ela começou a alisar meu pau. Experientemente, devagar, até ele ficar no ponto. Ajoelhou, respirou fundo e engoliu meu pau! Colocou tudo na boca de uma vez.

– Glup!!
Eu fui no céu. Não acreditei, meu pau já tava latejando. Até aquele momento eu não sabia que meu pau poderia ficar mais duro.
Ela foi tirando devagar, aproveitando o momento. Quando saiu todo ela deu um beijinho na cabecinha:
– Pronto! Seu beijo está aí. Agora minha cerveja! Hahaha!
Eu pensei comigo: “Krl! Fui trollado pela puta! fdp! rs! Tava tão bom. Mas trato é trato”. Tirei a Bud do engradado:
– Trato é trato! Seu beijo foi maravilhoso! Pega seu pagamento.
Ela pegou a garrafinha da Bud e olhou pro meu pau.
– Vc é bem dotado. Privilegiado! “Esses papinhos de novo?” Eu pensei.
Modéstia a parte, meu pau é grande (veja minha foto de perfil), por isso também que eu fiquei impressionado dela conseguir engolir ele de primeira, de uma vez. Grande, mas nada que impressione uma profissional como ela.
– Gostei de vc! Me arruma mais uma garrafinha dessas que eu te chupo até vc ficar de perna bamba!
“Nem precisou falar mais nada!” Coloquei o engradado no chão, me posicionei e ela continuou.
Ela chupava de um jeito incrível! Rápida, ela girava a cabeça pro lado e ia fundo na garganta.

– “Glup!! Glup!! Glup!!
Ela foi reduzindo a velocidade, já sabendo q eu não ia aguentar muito mais.

Olhou pra mim e sorriu! Passou a língua na cabecinha, deu mais um beijinho e colocou tudo de uma vez na boca de novo.
Eu não aguentei.
– Caralho, eu vou gozar!
Imaginei que ela bateria uma punheta pra eu gozar. Mas não. Ela não se mexeu.

Não parou de me olhar com meu pau na garganta dela.
Foi intenso. Eu gozando e ela me olhando. Por uns segundos ficamos nos olhando.
Minhas pernas bambearam, me segurei na parede como eu pude.
Lentamente ela foi tirando o meu pau da boca, escorrendo porra da boca dela.

Ela cuspiu depois limpou a boca.
Olhou pra mim séria, e sorriu.
– Gostou?
– Gostei! Você é uma mamadora de boca cheia! rs.
Ela me passou o WhatsApp dela.
– Agora que já temos intimidade, qual seu nome? Eu perguntei pra ela.
– Andressa.
Trocamos algumas mensagens desde então. E nada mais de pagamento com cerveja! (rs)
Pra comer aquela bunda tem q ter muito mais que cerveja, tem que se alimentar muito bem! Mas isso é história pra outra hora.
Que tatuagem será aquela?

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir